sexta-feira, fevereiro 06, 2009

moralmente falando




Há muito que me sinto incomodada com isto mas, por um motivo ou por outro nunca aqui escrevi sobre este assunto. E agora, com o fantasma da crise cada vez mais sobre as nossas cabeças, aqui vai disto.

Acho inacreditável que, num país onde a taxa de endividamento das famílias com créditos e mais créditos chega a números assustadores, uma figura pública como a Júlia Pinheiro aceite ser o rosto de uma destas empresas.

É ilegal? Não. Mas parece-me imoral. Ela que anda no seu programa a pedir dinheiro para as famílias pobres, aparece-me depois de kimono azul forte com a solução para todos os nossos problemas...

Será que não podia optar antes por um anúncio de um detergente de roupa?

2 comentários:

Anónimo disse...

também já tinha pensado nisso... Como uma figura pública aceita dinheiro para iludir os outros...Mesmo que tenha ganhado bem, existem valores que devemos respeitar acima de qq preço!
Andreia R

scbmf disse...

E haiva um anúncio qualquer desse género que oferecia cds do Carlos Paião (do tributo), achei escandaloso!