quarta-feira, novembro 12, 2008

Dia 9

Fez um mês que deixei de te ter, de te poder contar o meu dia, de te poder massajar as costas.
Temos saudades, pai.
Temos saudades... sinto um vazio muito grande no lugar do meu coração... às vezes nem percebo bem o que se passa, não é o trabalho, não são as coisas em casa.... depois vens-me à ideia. És tu pai, ou melhor, é a falta que me fazes que me deixa assim... como se me faltasse um pedaço.

4 comentários:

3Picuinhas disse...

Querida Princesa, no outro dia descobri este blog http://parafrancisco.blogspot.com/ de alguém que perdeu a sua metade e aprendeu a viver novamente. Tal como tu irás aprendendo a viver uma vida nova. Não te esqueças nunca que a "saudade" é uma espécie de cachecol do amor, que ajuda a manter quentinhos aqueles que guardamos para sempre no coração.

Nelson Alexandre Soares disse...

Estou sem reacção. Acho que não vezes nunca esquecer, mas precisamente lembrar-te de que a felicidade é o caminho. Aquele do qual nunca te deves desviar.


E quem realmente gosta de ti, só te quereria ver feliz...



Stay Well... and be strong!

Anónimo disse...

Irá sempre faltar-te um pedaço... O meu Pai morreu vai fazer dez anos no próximo mês, tinha eu 19, e ainda hoje, quando penso nele, sinto-me como se estivesse a ser cortada por uma dor fina e insuportável.

O tempo cura um pouco a nossa revolta, a nossa incompreensão perante a perda de alguém tão importante, a nossa raiva por nos sentirmos tão sozinhas.

Mas tento sempre ir contra estes sentimentos e pensar que o meu Pai pode ter morrido mas que eu e o meu irmão somos uma continuação dele neste mundo e que somos a sua réstea de eternidade. O meu Pai não morreu. Continua dentro de mim.
IFE

princesa das estrelas disse...

magnífico blogue 3picuinhas.
Obrigada