quinta-feira, abril 05, 2007

A morte do tempo

"Hoje o meu relógio morreu. Parti-o eu. Para que quero saber as horas aqui? Juntamente com o relógio também o tempo morreu para mim. Matei o relógio porque o meu cativeiro estava a ficar cansado desta pequena máquina de fabricar minutos inúteis. Desintegrado o átomo, era preciso desintegrar o instante. Penso que consegui fazê-lo ao partir o relógio."
Jesús Zárate
A Prisão

7 comentários:

Whitesoul disse...

Olá,
Há já muito tempo que sigo o blog, sem no entanto ter tido coragem para comentar...
Proque nestas situações nunca há nada que possamos fazer ou dizer, que faça o sofrimento ir embora, tenho na minha familia uma situação muito idêntica, embora não seja um familiar tão próximo quanto o seu... Queria deixar apenas uma palavra de força e coragem, nós nunca sabemos como lidar com estas situações.
Muita força e que tudo corra da melhor forma possível.
Um beijinho

nana disse...

uau.

sweety disse...

cmas mesmo sem ponteiros, sem engrenagem, sem minutos o tempo não deixa de passar. nada agarra o tempo. e é bom que mesmo que todos os relógios do mundo se partam o tempo siga o seu caminho. para que todos possamos encontrar o nosso.
bjos
sweety

cassiopeia disse...

Tenho a perfeita noção de cair, mais uma vez, no ridículo mas não pude, mais uma vez, calar o que me vai na alma. É que, enquanto há vida, há esperança...E já agora veja o Filme What the bleep do we know, peça na Fnac. Vai ver a Mudança que está a precisar. Estou aqui a torcer por si. Beijinho c mta energia.

mc disse...

Maravilhoso... a partir de agora, nunca mais vou usar relógio, ou melhor ainda, vou deixar de usar o calendário. Há quem deixe de fumar, eu vou deixar de estar dependente deste vício chamado tempo. Não das horas, mas do tempo própriamente dito.
Um beijinho.

princesa das estrelas disse...

whitesoul, obrigada pela palavra de força e coragem. é o que, por vezes, me falta.
Obrigada

princesa das estrelas disse...

Miguel, não seria maravilhoso que pudéssemos parar o tempo? Às vezes penso nisso e, no momento em que as palavras que transcrevi me apanharam , não pude deixar de sentir uma pontada de inveja. Matar a contagem do tempo...
Um beijo para ti também e que sejas bem regressado dessa viagem de trabalho.