quarta-feira, maio 02, 2012

Pingo Doce

Confesso que ontem não fui ao Pingo Doce. Mas não por qualquer motivo ideológico. Não fui porque não estive para me sujeitar a horas de fila. Não fui porque (ainda) me posso dar ao luxo de não querer estar horas na fila de uma caixa de supermercado em troca de um desconto (mesmo que esse desconto seja de 50 por cento). Mas também confesso que não percebo a onde de histeria e moralismo que vejo pela blogosfera e pelo facebook. Acho que se pode condenar a escolha do dia, acho que cada um pode achar o que bem entender, mas o que eu gostava mesmo, era que cada um pensasse no desespero em que vivem muitas famílias, asfixiadas pelas prestações mensais e que as faz encarar um desconto destes como um milagre.
E também gostava de ver estas preocupações morais em outros sectores que não o dos hipermercados. Alguém pensa nos pequenos editores na hora de ir a correr ao espaço da Leya ou da Porto Editora na Feira do Livro comprar 3 livros e levar 4 para casa? Alguém pensa na forma como os pequenos editores são esmagados com estas margens? E alguém pensa nas pequenas livrarias quando entra no Continente ou na Fnac para comprar um livro? E será que alguém pensa nos autores quando copia o CD do amigo porque está com pouco dinheiro para comprar o dito CD?
Pois....

3 comentários:

Quase nos "entas" disse...

Eu não fui ao Pingo Doce, daria geitinho..o se dava, mas quando vi os comentários que havia filas enormes á porta e produtos esgotados......achei que era melhor ficar quietinha!! não condeno ...sou aficionada dos produtos deles...acho que foi fantastico para quem conseguiu ir...mas foi uma lOUCURA....
:)

Mnc disse...

Ha 1 questão pertinente, acho eu, que ainda me posso tb dar a esse luxo de fugir de confusoes e promocoes , que tem a ver com o facto de que a fasquia dos 100€ para pagar 50€, que no talao medio do frenesim terá ultrapassado os 150€ seguramente, não é acessivel para quem infelizmente hoje mais necessita e vai hoje aos sipermercados a conta gotas trazendo aos poucos o que pode, necessita inquestionavelmente, mas 10€ hoje, 15€ em 3 dias, gerindo com parcimónia.

O pd fez o que o mkt ensina a fazer. Sobretudo en dias de crise. Sobretudo em em dias de um feriado mt contestado para se trabalhar. Sobretudo num pais em que se adora promocoes. Choca-me o nivel de guerrilha que se viu. A impreparação das lojas para o que aí vinha. A falta de civismo. A falta de bom senso. A necessidade aguça o engenho não devia acirrar o desespero, real ou putativo. Alguem confirmou se os precos valiam o desconto ou estavam aditivados? À mercê de uma das mais conhecidas manobras de mkt?

Receio que um dia que realmente tenhamos necessidades generalizadas ou racionamentos seja o descalabro.

Ovelha, Flor, Guerreira disse...

Foi exactamente por isso que não fui!