sábado, outubro 23, 2010

A propósito da consciência económica

Eu raramente comento os comentários do meu blog. Por vários motivos, o principal dos quais, porque este blog é a modos que semi-clandestino, quase ninguém aqui vem. Depois, porque nem sequer aprovo comentários, se eu digo o que me vai na mona, deixo que os poucos que me lêem também o façam. Mas o último comentário que recebi é, no mínimo, hilariante.
A Oriana acha que eu não tenho consciência económica porque entrei numa loja de chineses e achei uma peça cara. Mais, a Oriana deve achar que a minha falta de consciência é ainda maior porque achei um casaco de €22 caro. A Oriana deve achar-me uma consumidora sem escrúpulos porque as pechinchas das lojas dos chineses são feitas por crianças de "6 e 7 anos" e que devia saber que "o barato sai caro" e que "o preço da agora pechincha ainda vai ser pago daqui a uns tempos.. com juros".
Oh Oriana, francamente, se você quer iniciar um boicote aos produtos chineses, crie um abaixo-assinado na net. Quem sabe eu vou lá assiná-lo.
Aproveite e comece a olhar para as etiquetas da maior parte da roupa e do calçado que usa. E, não se iluda, se o produto custar mais de €5 euros, apesar de feito na China, que isso não lhe limpe a consciência em relaçãão à idade da criança que o fez. Quer apenas dizer que não tem marca ou teve menos intermediários.
E, já agora, tenha atenção aos produtos nacionais. é que há por aí muita criança portuguesa de 6 e 7 anos a coser sapatos em casa; e muitos miúdos de 7 e 8 a trabalhar no campo e a pastorear animais.

4 comentários:

Mnemósine disse...

Há uns poucos anos li uma reportagem interessantissima (portuguesa) em que a jornalista se propôs estar uma semana sem usar nada que fosse feito na China. Resultado: viu a sua vidinha a andar para trás.
Não tenho a certeza dos detalhes mas era qualquer coisa deste género: o portátil não podia usar, teve de usar um emprestado, nenhuma das pen que tinha podia ser usada, boa parte da roupa e calçado banida...
É um desafio muito interessante, na minha opinião, mesmo que não seja para pôr de parte o que foi feito na China.

princesa das estrelas disse...

Cara Mnemósine, não poderia estar mais de acordo consigo. Eu tenho consicência,económica, social, política. O que me desagradou particulamente no comentário que deixaram no meu outro post foi a ideia de que o que é barato é feito por criancinhas. E então o que se passa com o que é caro? Os computadores Sony? As roupas de marca? Só porque são caras já são feitas por chineses adultos e sindicalizados? A questão, como você muito bem a coloca, é muito mais profunda do que se possa imaginar, assim à primeira. Obrigada pelo seu comentário.

oriana disse...

carissima não estava a fazer uma critica a si. estava apenas a assinalar com alguma ironia humoristica a situação que relatou e a referir que de facto devemos ter sim mais consciencia economica. Não se trata de boicote declarado aos produtos chineses, (sim eu vejo as etiquetas das coisas que compro para saber de onde vêm e de que material são feitas... tenho essa mania de gostar de saber tanto quanto possivel o que estou a comprar), trata se de saber que mais dia menos dia todo este mercado de pechinchas chinesas nos vai custar caro. Porque mais dia menos dia eles vão acordar. Lamento se lhe feri alguma susceptibilidade.

Como ler não é a mesma coisa que ouvir, respeito a sua interpretação. infelizmente não pude deixar um comentário audivel senão teria visto que o tom do comentário foi bem diferente.

Dulce disse...

Eu, que li o que a Oriana escreveu não achei que o comentário fosse agressivo nem que se dirigisse em particular a si. Era um comentário que eu poderia ter feito, sem qualquer maldade, e admitindo não saber tudo (nem lá perto) sobre o assunto. É que a questão é de facto mais profunda e complicada do que parece...

(Ah, e quero dizer que conheci o seu blogue hoje e estou a gostar dele.)