segunda-feira, abril 16, 2007

nós

Ontem jogámos às cartas, uma rotina que se começou a instalar nas minhas visitas. Vi que me esperavas e vi claramente que, apesar de tudo, estavas à espera que te desafiasse para um jogo de cartas... doi-me ver-te assim, uma sombra do que foste e sem ter certezas que toda esta dor e luta te conduza para fora do hospital...
Mas reconforta-me sentir que te posso falar do meu dia, que te posso escrever um bilhetinho, que me esperas para te fazer a barba.
Mas não deixo de me sentir revoltada com a forma como vives, com o sofrimento ao qual estás sujeito. or vezes penso se terás a verdadeira noção do estado em que te encontras, dos prognósticos que te traçam... é uma grande frustração.
Eu estou feliz por estares vivo, por respirarmos o mesmo ar, por te sentir, por fechar os olhos e te saber no meu mundo. Mas, em certos momentos, não consigo livrar-me desta dualidade, de te querer mas de achar esse mesmo querer uma injustiça.

3 comentários:

Anónimo disse...

é só para te mandar um beijinho. C.G.

nana disse...

http://marulhos.blogspot.com/2007/03/quotidianos.html


....

porque temos sentires
mesmo
muito
parecidos
no meio de todas estas doenças em vida.

e talvez te alivie ler-te, também...

x

princesa das estrelas disse...

Aliviou sim, nana. É bom "marulhar" no teu espaço. Obrigada